Liberais vs Fundamentalistas

>> quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Você é um Crente Fundamentalista?

O Congresso Mundial dos Fundamentalistas, que se reuniu em 1976, no Usher Hall, Edinburgh, Scotland deu a seguinte definição de um fundamentalista:

"Um fundamentalista é um crente nascido de novo no Senhor Jesus Cristo que:
    1. Mantém uma inarredável lealdade à Bíblia, como sendo inerrante, infalível e verbalmente inspirada.
    2. Crê que tudo que a Bíblia diz, assim é.
    3. Julga todas as coisas pela Bíblia e somente dela aceita julgamento.
    4. Afirma as verdades fundamentais da fé cristã histórica: a doutrina da trindade, a encarnação, o nascimento por uma virgem, a expiação substitutória [sic], a ressurreição corporal em glória, a ascensão, a segunda vinda do Senhor Jesus Cristo, o novo nascimento através da regeneração pelo Espírito Santo, a ressurreição dos santos para a vida eterna, a ressurreição dos perdidos para o julgamento final e a condenação eterna e consciente, a comunhão dos santos, os quais são o corpo de Cristo.
    5. Pratica fidelidade àquela fé e empenha-se por pregá-la a toda criatura.
    6. Expõe e se separa de toda negação eclesiástica àquela fé, acomodação com o erro e apostasia da verdade.
    7. Ardentemente guerreia pela fé que, de uma vez para sempre, foi entregue aos santos."
(CLOUD, David W. Way of Life Literature, 1701 Harns Rd, Oak Harbor, WA 98277, [http://wayoflife.org/~dcloud])

O fundamentalismo tem tomado uma grande variedade de formas. Como um movimento, tem sido largamente interdenominacional, mas muitas igrejas separatistas e independentes, tais como as igrejas conhecidas como Batistas Independentes e Igrejas Bíblicas Independentes, têm aceito o nome de Fundamentalista. Apesar desta variedade, no entanto, uma das principais marcas características do fundamentalismo – sua própria essência – sempre tem sido o guerrear pela fé [o corpo de doutrina] da palavra de Deus. Qualquer crente que não seja verdadeiramente guerreador no seu posicionar-se pela verdade não tem nenhum direito de herdar nem usar o nome de Fundamentalista Bíblico.

Você já ouviu falar do "liberalismo cristão"? 

É o extremo oposto do legalismo e tão perigoso quanto. Se o legalista impõe a Lei soterrando o poder gracioso da misericórdia de Deus em perdoar, o liberal soterra a Lei dando larga vazão para aquilo que conhecemos por "pecado".

Lideres evangélicos que viraram "modinha" na internet cujas filosofias  são vistas como tratados teológicos irrefutáveis são admirados por seus seguidores como verdadeiros "gurus". Eles representam o que a cristandade tem de melhor em termos de liberalismo ético-moral desenfreado e relativismo doutrinário.

Tem alguma dúvida? Esqueça o que a escritura ensina, pergunte ao "guru". Ele vai filosofar, escrever frases de profundo impacto emocional, defender o "politicamente correto", colocar a culpa de todos os males do universo na conta da religião e por fim virá com um papo de que o cristão tem que ser "equilibrado". 

Um encanto aos olhos de quem o lê e aos ouvidos de quem o escuta. 

Não é incomum vermos liberais  sendo favoráveis (ou coniventes) com práticas abortistas, sexo antes do casamento, homossexualismo, relativismo doutrinário e, de forma geral, fazendo oposição à toda e qualquer posição conservadora dos cristãos tradicionais.

Para eles é como se Deus vivesse rompendo com as doutrinas existentes no meio cristão como contra resposta para aqueles que ensinam Sua Lei (ou acrescimos obsoletos) ao passo que escondem Sua graça.

Mas ao falarmos no "Deus que rompe com dogmatismos" devemos deixar claro quais dogmatismos Deus rompe, por que e em quais circunstâncias.

Da mesma forma que Cristo não endossou o adulterio, antes o condenou, isso não implicou com a condenação da mulher adultera. Para ela foi dito, vai e não peques mais.

O dogma que Cristo rompeu naquele momento não foi com o intuito de endossar o adultério, ou ainda abrir uma excessão para que posteriormente o ato fosse praticado por alguém, mas sim para aplacar o furor da aplicabilidade da Lei sobre o transgressor posto que naquela ocasião a graça encobriu o pecado da mulher, mas o pecado continuava sendo pecado.

E quem fez tudo isso? Deus, o próprio. Deus definiu a Lei. Deus definiu qual a punição para a transgressão da Lei, Deus manisfestou a Graça na pessoa de Cristo que nos livra da maldição da Lei sem, no entanto, endossar ou dar legalidade para a transgressão desta mesma Lei.
Deus esta aqui para curar nossas chagas, nos livrar da maldição da Lei e nos ensinar dia apos dia, aos trancos e barrancos, na nossa fraqueza e em meio aos nossos erros a fazermos a tua real vontade, cumprindo sua Lei que hoje se resume no amor incondicional ao nosso próximo e a Deus acima de todas as coisas.

Ser cristão não é somente erguer bandeira anti-legalista ou rezar pela cartilha anti-religiosa do nosso revolucionário favorito.

E devemos ter em mente que o padrão do cristão não é o "equilíbrio" e sim a verdade.

Dai uma pergunta se faz necessaria:Você projeta seu " Deus " dentro dos parâmetros Bíblicos ou de acordo com sua percepção individual do que...?


Roberto Pereira

Obs:baseado em uma serie de estudos sobre o assunto.




0 comments:

Postar um comentário

Copyright © 2010 WWW.LUGARDEDESCANSO.COM
ROALPEREIRA@LUGARDEDESCANSO.COM

  © Blogger template Webnolia by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP